sexta-feira, 9 de julho de 2010

És o elo mais fraco, adeus.

Olá,

Há tempos aderi à MEO Fibra. Espectáculo. Melhor não se deseja. Talvez num futuro próximo seja grátis mas para já não me resta senão pagar por um serviço que podería ser grátis dado as informações vindas a público acerca dos lucros da PT. Dá-me para este pensamentos e eu sei que tenho razão. Adiante.

Pelo motivo da nova adesão há que cancelar o contrato com a ZON TV Cabo. Simples!

Ligo para o número da ZON e atende-me a Carla. Eu já calculava que não ía ser de animo leve que o contrato íria ser cancelado. A conversa foi sempre cordial. Eu não podia de modo algum aborrecer a Carla na medida em que se ela desligasse o telefone eu tería de voltar a ligar e de certeza que já não sería ela que me íria atender. A conversa tería de começar desde o princípio outra vez com outra pessoa. Daí eu me ter concentrado antes e ter pedido às santinhas todas que conheço que me dessem capacidade de raciocínio e muito poder de encaixe e serenidade.

Assim foi. Mal informei a Carla que queria cancelar o contrato ela disparou “Posso-lhe perguntar porquê?”. Até parece que é uma pergunta inocente e desprovida de qualquer interesse que não seja a possibilidade da ZON querer melhorar os serviços na medida em que não quer que outro cliente pretenda o cancelamento do contrato estipulado. Parece.

Expliquei-lhe que a PT me tinha vindo bater à porta e que feitas as contas eu iria poupar perto de 500 euros ao fim do ano.

A Carla volta ao ataque, “Porque é que não nos contactou antes?” afinal eu era um cliente fidelizado, seja lá o que isso queira dizer. Tinha regalias que podia usufruir como por exemplo passar a pagar menos de metade do que estava a pagar. Diz ela... agora... claro.

Como a conversa se mantinha cordial eu propus-lhe um racíocinio simples, “Ó Carla. Se é assim porque é que vocês não me informaram antes? Repare, se eu sou mandado parar por um agente da autoridade, ele facilmente me atira à cara que eu sou obrigado a saber a lei, que é um dever cívico. Ora convosco não se trata de autoridade mas antes de um serviço, certo?”, ela ía ouvindo, “Você também é cliente, certo? Imagine que tem um empréstimo no banco por aquisição de uma casa. Você acha que o banco lhe vai ligar a dizer para lá ir e actualizar o spred de modo a pagar menos?”, ela riu-se. Notoriamente eu estava a ganhar. A Carla estava a ficar sem poder de argumentação.

“Pode enviar o pedido de cancelamento por carta ou por fax”, disse. Ao que eu perguntei “Então e por mail? Olhe que até já há museus que têm a máquinda de fax exposta como uma peça do milénio passado”, retorqui. Mas não. A ZON não usa o mail para cancelamentos de contratos.

“- Se entretanto mudar de ideias sabe que tem quinze dias à experiência para reconsiderar não optar pela MEO Fibra? Ou também poderemos passar as vantagens que vai perder para um contacto que nos indique”, disse ela. “Obrigado”, respondi eu.

A vida tem piada.

Beijinhos e até à próxima,

Sem comentários:

Enviar um comentário